SUPPORTER OF - ONU 2014 Ano Internacional da Agricultura Familiar
- CLICK

"ECONOMIA DE SÃO PAULO"

www.nossosaopaulo.com.br

INDÚSTRIA DE SÃO PAULO / ENERGIA DE SÃO PAULO

Powered by FreeFind. ENGINE DE BUSCA NO PORTAL: Digite na janela abaixo o NOME, PALAVRA ou FRASE que deseja procurar, em todo o Portal Nosso São Paulo e CLICK no botão 'Procure !'. As FRASES devem ser colocadas entre "ASPAS"; Ex: "Nome a Procurar", "Assunto a ser Procurado".
Quando exibido o resultado, escolha e CLICK em uma das opções encontradas para abrir a página ! Use as teclas "CTRL+F" para ajudá-lo(a) a procurar a informação desejada, em cada página. As SETAS acima e o botão BACK de seu navegador, podem ser usados para voltar a esta página.

Faça aqui a sua PESQUISA DE PREÇOS, de uma grande variedade de produtos, em várias lojas, totalmente grátis e sem qualquer compromisso de compra, utilizando-se do mais rápido e moderno mecanismo disponível:

Compare Preços
Digite o produto ou marca (ex:"DVD")

Click na figura e conheça o
Dicionário Econômico da ISTOÉ

  • SÃO PAULO - INDÚSTRIA

    O Estado é responsável por cerca de 40% da produção industrial nacional e a Grande São Paulo, por 20%. Somente na Região Metropolitana estão concentradas 52% das indústrias paulistas. É considerado o 12º produtor mundial de automóveis, com capacidade para produzir mais de 1,2 milhão de veículos. São Paulo orgulha-se de ter o maior parque industrial do país e com indústrias de qualidade, já que mais de 900 receberam o Certificado ISO 9000. O nível de produtividade da indústria paulista é superior à média nacional. Entre os setores que mais se destacam na produção nacional estão:
    · Metalurgia - 45%
    · Mecânica - 53%
    · Material elétrico e de comunicação - 43%
    · Material de transporte - 60%
    · Química - 59%
    · Farmacêutica - 71%
    · Plásticos - 64,5%
    · Informática - 48%

  • SÃO PAULO - PRIVATIZAÇÃO

O Brasil e principalmente o Estado de São Paulo estão deixando para trás um ciclo de estatizações que começou na década de 1950, com o petróleo, ferrovias, portos, minérios e companhias telefônicas. Com a estabilidade da moeda brasileira e a globalização da economia, a iniciativa privada aumentou a disponibilidade de recursos e pôde investir em uma melhor infra-estrutura para crescer e competir no mercado doméstico e internacional, além de gerar mais postos de trabalho.
Em São Paulo, estas mudanças começaram pela restauração da credibilidade do governo paulista que, após a posse do governador Mário Covas em 1995, passou a ter como normas básicas da administração a transparência, a austeridade e o compromisso de realizar as mudanças que a população do Estado exige e merece para ter condições de vida e trabalho compatíveis com o mundo moderno. A criação do Programa Estadual de Desestatização - PED, em 1996, marcou o primeiro passo para a modernização do papel do Estado, que está passando a exercer com mais rigor sua função de regulador e não mais a de executor de todos os serviços públicos. O Estado começou então a delegar à iniciativa privada atividades que ela pode gerir e prover de recursos com muito mais agilidade e eficiência. O programa paulista de privatizações tem tido um enorme impacto na modernização e no desenvolvimento da economia brasileira.
Por meio do PED, já foram privatizadas empresas paulistas de distribuição de eletricidade (Companhia Paulista de Força e Luz - CPFL, Elektro, Bandeirantes e Metropolitana), de geração de energia (Cesp, Paranapanema, Cesp Tietê); e de gás (Comgás).

(Fonte: Governo Estadual )

CLICK AQUI e confira o TOTAL DE TRIBUTOS que pagamos em cada família de produtos/mercadorias que adquirimos, em uma gentileza das INDÚSTRIAS NIGRO.


ImpostômetroIMPOSTÔMETRO: O Painel Eletrônico mantido pela Frente Brasileira contra a MP 232, que informa o quanto o governo brasileiro arrecada de impostos por segundo, minuto, hora, dia, mês e ano, em âmbito federal e estadual, além de arrecadação per capita!!! (click aqui ou na figura para acessar e conferir).


Click na Figura Abaixo e conheça o site da

Petrobras descobre nova fronteira exploratória com grande reserva de óleo leve (petróleo) de alto valor comercial e de gás natural na Bacia de SANTOS-SP - click aqui.

  • SÃO PAULO - ENERGIA

    O Estado de São Paulo é responsável pela geração de mais de 22% da energia elétrica do País. Aqui são consumidos mais de 32% da produção nacional de energia elétrica.
    É a Secretaria de Energia (www.energia.sp.gov.br) que executa a política estadual referente à exploração das fontes de energia e dos recursos minerais em todo o Estado. Os investimentos realizados até agora resultaram em um acréscimo de geração de energia de 2 mil megawatts.
    E para garantir novos investimentos, o governo paulista procurou a parceria da iniciativa privada. Dividido nas áreas de geração, transmissão e distribuição de energia, o setor passou por um amplo processo de desestatização.
    Lista de Empresas:
    CSPE- Comissão de Serviços Públicos de Energia
    www.cspe.sp.gov.br
    E-mail:cspe@sp.gov.br
    CESP- Companhia Energética de São Paulo
    www.cesp.com.br
    e-mail: inform@cesp.com.br
    EMAE- Empresa Metropolitana de Águas e Energia S.A.
    www.emae.sp.gov.br
    e-mail: comunicacao@emae.sp.gov.br
    CTEEP- Companhia de Transmissão de Energia Elétrica Paulista
    www.cteep.com.br
    E-mail: cteep@cteep.com.br
    EPTE- Empresa Paulista de Transmissão de Energia Elétrica S. A.
    www.epte.com.br
    e-mail: epte@epte.com.br

  • SÃO PAULO - GÁS NATURAL

Com uma rede de distribuição com 2,7 mil quilômetros, a Comgás www.comgas.com.br distribui 6 milhões de metros cúbicos por dia de gás natural a 330 mil consumidores. Depois de ser privatizada, a empresa passou a ser administrada por um consórcio de empresas da Inglaterra, Holanda e Brasil. Com a nova administração, o Estado de São Paulo ganhou mais eficiência na distribuição de gás natural. A previsão é de que os investimentos no setor ultrapassem US$ 300 milhões nos próximos anos. A meta é comercializar e distribuir mais 8,1 milhões de metros cúbicos diários de gás boliviano, a partir do ano 2006.
Gasoduto Bolívia-Brasil
Com 3.150 km de extensão, o Gasoduto Bolívia-Brasil (www.petrobras.com.br/portugue/oportuni/parceria/
opopar02.htm) e/ou (www.riosvivos.org.br/gasbol.htm) é atualmente a maior obra em andamento na América Latina. Resultado de um investimento de US$ 2 bilhões, o gasoduto interliga os dois países, viabilizando o transporte e fornecimento de gás em várias regiões brasileiras.
Com dezenas de hidrelétricas e termelétricas, São Paulo tem conseguido a parceira da iniciativa privada para garantir investimentos na área energética. O objetivo é manter o padrão de qualidade do setor, ampliar as áreas de atuação e estender os serviços prestados no Estado.

(Fonte: Governo Estadual )