PENSAMENTO DO DIA
PENSAMENTOS e FILOSOFIA

OUTUBRO de 2005


www.nossosaopaulo.com.br

Voltar ao Atual

03/Outubro/2005:

“ ALLAN KARDEC, 201 ANOS DE NASCIMENTO”

“ Espíritas do mundo todo comemoram com muita reverência os 201 anos de nascimento de Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo, que nasceu em 3 de outubro de 1804, em Lyon, na França. Mais do que passar neste texto a sua já tão comentada biografia queremos reverenciar o homem, cujo trabalho, suor e ação legou à Humanidade as luzes da Espiritualidade Maior e a fé raciocinada.
Com os seus livros (O Livro dos Espíritos, O Evangelho Segundo o Espiritismo, O Livro dos Médiuns, A Gênese e O Céu e o Inferno) onde expõe os frutos de suas pesquisas e seu contato com o Mundo Espiritual, sacudiu a poeira do materialismo e o sarcasmo da indiferença calcada na descrença cruel do nada.
A partir da publicação de O Livro dos Espíritos a vida humana ganha um novo valor, um novo peso e uma nova medida. Somos Espíritos, afirma a Codificação, seres imortais cujo destino único é a Perfeição! Não mais o desespero diante da morte ou das provas difíceis. A morte não existe e as provas constituem condição passageira onde o Espírito em prova burila sentimentos, renova intenções, alimenta a fé, que no passado era titubeante e fraca.
Nasce o novo homem cantado por Jesus a Nicodemos (João 3:1-12). Um ser mais consciente de suas responsabilidades, dos caminhos a seguir e com uma visão mais lúcida de Deus e de suas Leis.
Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, concernente à moral deixada pelo Cristo, baseada nas Leis de Amor, Fraternidade e Caridade, (re)descobrimos os ensinamentos de Jesus sob a luz espiritual da imortalidade, da evolução e das leis de Ação e Reação. Ali a família humana é recolhida em sua dor e consolada com a Verdade da Vida Eterna, aquela que diz que sem o Evangelho nada podemos, nada conseguimos, nada evoluímos.
No livro A Gênese, o leitor e o estudioso da Doutrina acompanham a obra de Deus na Criação dos Mundos e da Terra. Revisão da perfectibilidade divina e da lei de evolução, onde tudo se transforma e se comunga sob o sopro do Pai. Não existe o caos e sim uma harmonia universal em que o Ser Supremo, origem de todas as coisas, dá a cada um e a cada elemento o seu quinhão de participação e função, respectivamente, na sua obra.
Em O Céu e o Inferno, Kardec nos mostra Deus amparando sempre, amando eternamente seus filhos e permitindo que o mesmo seja o artífice de sua própria evolução. Evolução essa calcada no código moral do Bem praticado e do Amor vivenciado. É o Deus de Amor na mais pura concepção do termo, sem castigos ou julgamentos e a cujos filhos pródigos permite sempre o recomeçar, o refazer a obra inacabada. E as vozes vieram do Além testemunhar suas dores e seus fracassos, suas alegrias e felicidade, conforme semearam na Terra. "A cada um segundo as suas obras (Romanos, 2:6)".
Mas tudo isso resultaria em mais uma teoria ou mais uma filosofia se a experiência e os fatos não comprovassem diferentemente. Eis que O Livro dos Médiuns resgata nas pesquisas científicas a veracidade da vida após a morte, do mundo espiritual e do ser imortal, o homem. Um a um, pacientemente, Kardec derruba os vários sistemas criados para explicar os fenômenos, que nada tinham de sobrenatural ou milagroso. Era a simples intervenção dos Espíritos que tudo manipulavam através dos fluidos e da Vontade. Prova da existência espiritual do homem.
Assim é que, duzentos e um anos depois somos surpreendidos ainda pela grandeza dos estudos de Allan Kardec, cuja inteligência, cuja cultura majestosa, cujo desprendimento e ilibado amor ao próximo - mandamento original que soube vivenciar entre as letras e a ciência -, nos permite despertar, aprender e crescer mais conscientes e amorosos, por nossa vez.
Que das Alturas onde se encontra receba dos corações fraternos e daqueles outros sofridos e humildes da Terra, o eterno merci cher professeur. E de nós espíritas, como nos aconselha o Espírito da Verdade em O Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. VI, item 5: "Espíritas, amai-vos, eis o primeiro ensinamento; instruí-vos, eis o segundo." Essa, na nossa opinião, a melhor maneira de homenagear Kardec, atendendo, da mesma forma, aos chamados de Jesus e às próprias leis de Deus. ”

( Eliana Thomé - Biografia - 1955/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

04/Outubro/2005:

“ SINTONIZE A ÉTICA NA TV ”

“ No dia 9 de outubro a Campanha "Quem financia a baixaria é contra a cidadania" realizará o segundo Dia Nacional Contra a Baixaria na TV.

Com o slogan “Sintonize a Ética na TV”, a Campanha programou diversos eventos para o dia 9, como um programa especial que será gerado pela TV Câmara e distribuído para diversas emissoras. Já foram confirmadas as TVs Nacional, Câmara, Senado, NBR, Justiça, filiadas à ABEPEC (como TV Cultura e as TVs Educativas) e legislativas. Além destas, foram convidadas as TVs Universitárias, Telesur, TV Escola, Canal Futura, Rede Vida e Canção Nova. O Ibope fará uma pesquisa para avaliar o impacto na audiência deste ano.

A proposta é preparar uma programação especial e transmitir em rede, entre 12h e 13h (09/Out - domingo), um programa com três blocos de debates intercalados por VTs a respeito das principais questões relacionadas à ética na TV, conforme o projeto. A referência do interesse público será a análise das milhares de mensagens que chegam à campanha Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania, coordenada pela CDHM (Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados). Não haverá desqualificação de redes, emissoras, programações ou anunciantes, mas uma discussão franca – normalmente ausente da programação televisiva brasileira – sobre o que fazer para que a responsabilidade social perpasse a programação da nossa TV.

A sua participação para o sucesso deste evento é fundamental. Por isso, pedimos que o divulgue nos meios de comunicação do qual faz parte. Para a web, enviamos em anexo o cartaz oficial do Dia Nacional Contra a Baixaria na TV, para que seja divulgado nos sites e portais. O site ÉTICA NA TV, que pode ser acessado facilmente a partir da página NOVIDADES, do portal Nosso São Paulo, em breve estará com as informações completas sobre os eventos do dia.

Movimentos sociais e organizações não-governamentais organizarão atos públicos para mobilizar as pessoas em várias cidades. Em Brasília, o ato será na Torre de TV; em Recife, na Praia da Boa Viagem; em Goiânia, na Feira da Lua. Em outros Estados a programação está sendo organizada.

Uma enorme rede de e-mails será acionada para divulgar o Dia Nacional, com o suporte de materiais impressos, spots em emissoras de TV e de rádio parceiras. Contamos com a sua participação (DIVULGUE PARA SUA LISTA DE E-MAILS), pois apenas com a mobilização de nossos parceiros e amigos conseguiremos obter sucesso neste empreitada rumo a uma TV de qualidade. ”

( Orlando Fantazzini / Iriny Lopes - CDHM/CD )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

05/Outubro/2005:

“ ESCRAVO CIDADÃO ?? ”

“ Ter escravos não é nada, mas o que se torna intolerável é ter escravos chamando-lhes cidadãos. ”

( Denis Diderot - Biografia - 1713/1784 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

06/Outubro/2005:

“ O PODER NÃO CORROMPE O HOMEM”

“ O poder não corrompe o homem; é o homem que corrompe o poder. O homem é o grande poluidor, da natureza, do próprio homem, do poder. Se o poder fosse corruptor, seria maldito e proscrito, o que acarretaria a anarquia. ”

( Ulysses Guimarães - Biografia - 1916/1992 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

07/Outubro/2005:

“ A INSEGURANÇA GLOBAL ”
- trecho do discurso no recebimento do Prêmio Nobel da PAZ 1984 -

“ (...) Devido à insegurança global, as nações se engajaram numa louca corrida armamentista, desperdiçando bilhões de dólares em máquinas de destruição, quando milhões de pessoas estão morrendo à míngua. No entanto, apenas uma fração do que é gasto assim, de forma obscena, nos orçamentos de defesa, faria a diferença, permitindo às crianças de Deus encherem os seus estômagos e receberem educação, o que lhes possibilitaria realização e felicidade em suas vidas.

Nós temos a capacidade de nos alimentar a todos, diversas vezes, mas somos assombrados, diariamente, pelo terrível espetáculo dos exilados esqueléticos da humanidade, que se embaralham em filas infinitas, com suas bacias, a coletar o que a caridade do mundo lhes oferece, demasiado pouco e demasiado tarde...

Quando é que nós aprenderemos ? Quando é que os povos do mundo se levantarão e dirão, o bastante é o bastante ? Deus nos criou para o companheirismo. Deus nos criou para darmos forma à família humana, para existir juntos, porque nós fomos feitos um para o outro, nós não fomos feitos para uma auto-suficiência egoísta, mas para a interdependência, e nós infringimos a lei do nosso próprio ser, expondo-nos ao perigo. Quando é que nós aprenderemos que a escalada nas quedas-de-braço somente aumentam a insegurança global? Nós estamos agora, muito mais perto de um holocausto nuclear do que quando a nossa tecnologia e as nossas despesas eram menores. (...) ”

Texto Original: (...) Because there is global insecurity, nations are engaged in a mad arms race, spending billions of dollars wastefully on instruments of destruction, when millions are starving. And yet, just a fraction of what is expended so obscenely on defense budgets would make the difference in enabling God's children to fill their stomachs, be educated, and given the chance to lead fulfilled and happy lives. We have the capacity to feed ourselves several times over, but we are daily haunted by the spectacle of the gaunt dregs of humanity shuffling along in endless queues, with bowls to collect what the charity of the world has provided, too little too late. When will we learn, when will the people of the world get up and say, Enough is enough. God created us for fellowship. God created us so that we should form the human family, existing together because we were made for one another. We are not made for an exclusive self-sufficiency but for interdependence, and we break the law of our being at our peril. When will we learn that an escalated arms race merely escalates global insecurity? We are now much closer to a nuclear holocaust than when our technology and our spending were less (...)

( Desmond Tutu - Biografia - 1931/**** )
tradução: Eng. Celio Franco
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

10/Outubro/2005:

“ SOBRE DESARMAR OS BONS ”

“ Quando todas as armas forem propriedade do governo e dos bandidos, estes decidirão de quem serão as outras propriedades. ”

( Benjamin Franklin - Biografia - 1706/1790 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

11/Outubro/2005:

“ O BEM E O MAL”

“ O mal existe, mas nunca sem o bem, tal como a sombra existe, mas jamais sem luz. ”

( Louis Charles Alfred de Musset - Biografia - 1810/1857 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

13/Outubro/2005:

“ ESCREVER PARA MIM ”

“ Escrever para mim, em geral, é uma obrigação, da qual tiro o meu sustento. O que eu gosto mesmo é de já ter escrito. E de ler, ouvir música de jazz, ficar vadiando pelo bairro onde moro e, principalmente, de conversar fiado com meus amigos. ”

( Fernando Sabino - Biografia - 1923/2004 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

14/Outubro/2005:

“ FIQUEMOS DE OLHO, BRASIL !!! ”

“ (...) Temos que ter muito cuidado com respeito ao que circula pela internet. Mas há alguma coisa que eu gostaria, também, de sugerir às pessoas amigas. Particularmente eu ajo assim:

Adoro a Fernanda Montenegro, mas no teatro, no cinema e nas novelas. Adoro o Romário, o Ronaldinho e outros jogadores, mas jogando futebol. Adoro o grande Chico Buarque de Holanda, mas compondo e cantando as suas belas canções; adoro as belas atrizes, mas apenas para apreciar o seu visual e as suas expressões artísticas.

Daí, a ter eu que levar em consideração o fato deles, por serem famosos e considerados celebridades, influenciarem na minha decisão, há uma distância muito grande e uma autodisposição de comprometer a minha própria inteligência.

Tem muita gente de bem, honesta e digna, que realmente vive na prática o que prega na teoria, defendendo a idéia do SIM, de forma honesta e convicta do seu ideal; mas também tem muito hipócrita sem vergonha, que nada tem a ver, na sua vida íntima, com a máscara que vive apresentando para a platéia, querendo fazer os outros de bestas. São exatamente estes os que tentam impor as suas opiniões, na marra, na intimidação e na arrogância, porque os que verdadeiramente são do bem, não impõem nem exigem nada de ninguém.

Não quero permitir que ninguém me passe atestado de trouxa!

Sei como vou votar, tenho personalidade inviolável, não sou fantoche e nem marionete e exijo que determinadas criaturas me respeitem, já que não falto com o respeito à liberdade e ao livre arbítrio de ninguém.

Aproveito, neste final, para alertar às pessoas que gostam de mim e que costumeiramente mandam mensagens dizendo que apreciam aos meus pronunciamentos, para também não se deixarem levar pela minha opinião pessoal, já que para o exemplo e a justiça ser boa ela tem que começar em casa. Se os meus argumentos, como os dos outros, servirem para alguma coisa, que sirvam apenas como um instrumento de análise, não de decisão. Cada um deve tomar a sua decisão livremente e não se deixar levar por pressões e muito menos pela sutileza da demagogia de certos hipócritas.

Repito que sou a favor do SIM, desde que o desarmamento seja total, inclusive dos bandidos, inclusive da entrada de armas pelo contrabando e ação dos ilegais. Mas se a proposta é tirar as armas apenas das pessoas de bem, deixando as famílias expostas aos bandidos diante de uma lamentável deficiência policial, conforme é a realidade do nosso país, e minha resposta é NÃO.

Encerrando, quero sugerir que o que deve ser desarmado, prioritariamente, é:

O espírito de muita gente, a mente doentia e venenosa de muitos “santinhos de pau oco”, a verborragia mafiosa daqueles que costumeiramente exercem ações canalhas para tentar destruir a imagem dos outros através de E-mails enviados às escondidas, pedindo segredo a quem os recebe, os 'Tomases de Torquemadas' que existem por aí querendo impor ÍNDEX à palavra dos outros, aqueles que presunçosamente e prepotentemente tentam calar os que não pensam conforme as suas cabeças. O que precisa ser desarmada é a língua dos que a utilizam sem pensar, sem raciocinar e sem compromisso com a honestidade e a dignidade.

Fiquemos de olho, Brasil !!! Amém ! ”

PS: os artigos completos do Sr. Alamar, sobre este tema, estarão publicados, para consulta, em nossa página 'POLÍTICA', nos próximos dias.

( Alamar Régis de Carvalho - Biografia - 1951/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

17/Outubro/2005:

“ VAMOS PERSEVERAR JUNTOS ”

“ (...) Deste modo, deixemo-nos perseverar -- e deixemo-nos fazê-lo juntos. Nosso trabalho não estará terminado até que nós façamos uma diferença positiva nas vidas do fraco e do pobre ! ”

original: "So let us persevere -- and let us do it together. Our job will not be done until we make a positive difference in the lives of the weak and the poor."

( Kofi Annan - Biografia - 1938/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

18/Outubro/2005:

“ MUDEI DE IDÉIA, AGORA VOTO SIM ”

“ Descobri que a arma legal alimenta os bandidos. Todas aquelas AR-15, AK-47, granadas e bazucas que os traficantes do Rio usam foram roubadas de cidadãos honestos que compraram as armas legalmente. Da minha casa mesmo, por exemplo, o ano passado me roubaram quatro mísseis stinger...

Descobri, ainda, que num país continental que possui mais de 5500 cidades, a maior parte dos pouco mais de 1300 comerciantes LEGAIS de armas de fogo, embora fiscalizados pelo governo, vendem armas ilegalmente, na maior tranquilidade... (nossa inserção)

Descobri que todos os pais que têm armas de fogo costumam deixá-las carregadas e engatilhadas em cima do sofá da sala. Por isso as crianças brasileiras morrem, brincando com armas de fogo, todos os anos...

Descobri que se eu vir ou ouvir algum bandido pulando a cerca e entrando no meu quintal, eu não vou conseguir afugentá-lo com um tiro para cima ou para o chão. Se ele ouvir o tiro, aí sim, é que ele vai ficar excitado e vai querer, de toda forma, entrar em casa e trocar tiros comigo... Eles adoram fazer isso !!!

Descobri que se o NÃO ganhar, as armas de fogo vão imediatamente ficar 90% mais baratas e vai acabar a burocracia para a sua compra... No dia seguinte à vitória do NÃO, qualquer pessoa (bandido ou não) vai poder ir numa loja de armas, comprar uma 44 e oito caixas de munição, já sair armado e ir para o bar mais próximo arrumar briga e me matar !!!

Descobri que delegados e policiais, civis, militares e federais - que são na sua quase totalidade favoráveis ao NÃO - não entendem N-A-D-A de violência e criminalidade. Quem manja mesmo do assunto são os atores, as atrizes, os sociólogos e dirigentes das ONGs internacionais.

Descobri que os estrangeiros que lideram ONGs como a Viva-Rio, têm muita experiência no assunto. Afinal, todo mundo sabe que a situação social, econômica e de criminalidade na França, Inglaterra e Estados Unidos (que é de onde eles vêm) é IGUALZINHA à realidade do Brasil... Não tenho a menor dúvida de que as teorias que eles têm vão funcionar direitinho por aqui...

Descobri que 90% dos casos de homicídios são cometidos pelos chamados cidadãos de bem. Claro que isso é só dos homicídios ESCLARECIDOS, que são menos de 5% dos casos. Mas pela lógica, os outros 95% dos homicídios, que não são esclarecidos, também devem ter sido causados pelos cidadãos de bem...

Descobri que o governo quer que a gente vote SIM !!! E o governo sempre pensa no nosso bem. Afinal, todo mundo sabe que a qualidade da saúde pública, do ensino público, da segurança pública, e etc. vem melhorando cada vez mais..., dia-a-dia...

Descobri que se o SIM ganhar, não vão mais acontecer mortes banais. Maridos ciumentos só vão agredir as mulheres com travesseiros, torcidas organizadas vão se dar as mãos, facas e canivetes vão perder o fio, tijolos e paus vão ficar macios e os pitboys vão todos se converter ao budismo...

Descobri que o jovem é a principal vítima da arma de fogo. Claro que isso não tem nada a ver com o fato de o jovem ser o maior usuário de drogas, e nem ao fato de que quase 100% dos envolvidos no tráfico de drogas terem menos de 30 anos (porque morrem ou são presos antes). Isso é só coincidência...

Descobri que todo mundo que tem arma de fogo é um suicida em potencial !!! E a única causa do suicídio é a arma de fogo, e não a falta de perspectivas, a falta de um ideal, a falta de um sonho a ser buscado... ou então distúrbios mentais, como a depressão...

Descobri que se algum bandido invadir a minha casa, basta eu ligar para o 190 que a polícia sempre tem homens e viaturas sobrando, e levará menos de 3 minutos para me atender...

Caso isso não aconteça, basta eu fazer o sinalzinho do 'sou da paz', com as mãos, que o ladrão vai saber que eu sou um sujeito legal, e então ele vai embora, em PAZ, sem levar nada e sem violência nenhuma... Eles sempre agem assim quando descobrem que você é da paz, e não um daqueles psicopatas malvados que são a favor do NÃO !!!

Caso o ladrão seja muito, mas muito malvadão mesmo, eu só preciso gritar por socorro !!! Em cinco segundos vão aparecer a Fernanda Montenegro, a Maitê Proença, o Chico Buarque e o Felipe Dylon..., para me salvar e prender o bandido, e isso sem usar armas... !!! ”

PS: este texto, embora se utilize de uma sátira mordaz, e seja de autor desconhecido, convida todos nós a uma grave e séria reflexão acerca do assunto em pauta, o Plebiscito do Desarmamento, devido ao que está sendo publicado neste espaço !!! (CSF)

( Autor Desconhecido - Biografia - ****/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

19/Outubro/2005:

“ EU VOU SER CONTRA ”

“ A pergunta que seremos obrigados a responder nos próximos dias vem – como tantas coisas mais – muito malfeita. Presta-se a enganos também porque vem combinada com campanhas de entregar armas, trocar armas por brinquedos, por dinheiro, por sabe-se lá que mais.

Mas o plebiscito sobre armas não quer, na verdade, saber se somos contra alguém ter arma em casa: quer que a gente diga se aprova ou não a proibição do comércio de armas.

Uma leitura benevolente indicaria apenas desinformação no ato e na forma de realizar o plebiscito. Uma leitura mais cuidadosa nos faz lembrar regimes ditatoriais – do nazismo ao comunismo – que tiraram o direito do cidadão de se defender enquanto armavam polícias políticas e brigadas populares.

A grande perturbação do senso moral destes tempos, resultante da contínua afronta a valores mínimos capazes de garantir a estabilidade social, pode ser um indício de tempos negros – à direita, ou à esquerda.

Obviamente sei que andar armado e reagir a um assalto é quase sempre decretar a própria morte, neste país onde a violência impera, a droga predomina e o mau exemplo que vem de cima é assustador, como no caso dos deputados que a toda hora trocam sopapos no plenário, tornando a violência algo quase oficial.

Em lugar de apoiar esse confuso plebiscito, sou a favor do que não se faz: desarmar os bandidos; liquidar o narcotráfico ou reduzir seu poder; proibir a propaganda de bebida alcoólica, causadora de boa parte das mortes por arma de fogo e dos acidentes de trânsito fatais, e regulamentar severamente sua venda.

Também é preciso uma real vontade de acabar com a indecente corrupção por aqui, um terrível desestímulo para o cidadão comum, sobretudo jovem; resolver o descaso com policiais mal pagos e mal preparados, além de mal armados para a sua dura tarefa, na qual arriscam e muitas vezes perdem a vida. E não digam que não há dinheiro, pois sabemos que o problema é o seu mau uso.

Alardeia-se o desenvolvimento do Brasil; porém, até setembro, se aplicou na saúde pouco mais de 5% do orçamento do ano destinado à área: vejo todo dia jovens médicos desempregados e multidões de doentes desassistidos. Na educação, aplicou-se cerca de 15% do previsto: escolas são fechadas, outras deveriam fechar por não oferecer condições de higiene e segurança mínimas, por falta de professores ou de material; as universidades estão decadentes, mas ainda, demagogicamente, se multiplicam pelo país, sem nenhuma infra-estrutura, às vezes até sem instalações básicas ou professores.

A falta de horizontes para jovens profissionais é trágica, levando nossos filhos ao desalento ou a tentar a vida no exterior. Muitos têm sua adolescência prolongada, não por preguiça ou inépcia, mas porque não conseguem se afirmar no mercado de trabalho, mesmo com talento, preparo e títulos. Não é por nada que alguns começam a pensar: é realmente importante ter diploma, competência e honradez?

Fala-se em deflação, mas no meu bolso sobem as contas de luz, de telefone, de tudo o mais, sem falar no seguro-saúde, que tem de ser privado, pois o público assassina doentes nas filas de espera.

Não quero que a gente propicie aos malfeitores mais essa facilidade: saber que, estimulados pelo poder público, pais de família, agricultores, fazendeiros, estudantes, comerciantes, taxistas, todos os que estão desprotegidos em suas casas ou precisam circular por nossas ruas e estradas perigosas, foram oficialmente desarmados.

Podem me crucificar, podem reclamar, mas, se alguns direitos – saúde e educação, segurança e moradia, esclarecimento sobre gastos públicos e ética nas administrações – já andam restringidos, nesse resto de democracia imagino que a gente possa ao menos tentar se defender, quando o Estado não nos protege, e votar do jeito que parecer mais sensato. ”

( Lya Luft - Biografia - 1938/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

20/Outubro/2005:

“ CARTA PARA FERNANDA MONTENEGRO ”

“ Prezada Fernanda:

Conheço-a porque é figura pública relevante e talentosa. A Senhora não me conhece, porque sou um anônimo gaúcho, morador nos confins do Rio Grande do Sul, onde crio ovelhas. Creio que saiba que se tratam dos mais indefesos e perseguidos animais domesticados pelo homem.

Sobreviveram na seleção das espécies, graças ao zelo dos pastores. São inúmeros os seus predadores, onde o pior é o homem. Não dispõem de meios de defesa, fortes garras, dentes estranguladores, veneno letal, ou velocidade para fuga. Estariam extintos, não fosse a tutela humana.

Numa fazenda, mal servida de estradas e de meios de comunicação, com longínquos ou escassos vizinhos, não há qualquer proteção do Estado. A defesa deve ser provida por seu proprietário e empregados. Isto não se faz com rosas ou cândidas palavras.

Descendo de uma família que há gerações tem nas armas, a sua última segurança. Primeiro elas foram manuseadas nos conflitos que marcaram as nossas fronteira e a formação histórica. Depois, repousaram como recurso a ser usado, quando todos os demais falhassem. Ninguém as usou, até os nossos dias, para agressão ao próximo. No meu meio, o mau uso só aconteceu como exceção.

As armas, Dona Fernanda, passaram a ser acionadas de forma cruel e bárbara, em tempos de paz, após o advento das drogas. Estas sim, são o combustível principal que dispara gatilhos.

Pelo noticiário, com freqüência, tomo conhecimento de que colegas seus, artistas, são flagrados como consumidores de drogas. De uma feita, estando no Rio de Janeiro, fui convidado a uma festa. Presentes muitos artistas e pessoas do 'gran monde'. Qual não foi a minha surpresa, quando os garçons passaram a servir, em bandejas de prata, carreirinhas de um pó branco, que depois me informaram se tratar de cocaína.

Esses consumidores, autores e diretores de televisão, gente graúda, de muita 'plata', são a razão de ser do tráfico. Não existe comércio sem demanda. E a disputa por essa demanda é que alimenta o contrabando, de armas e drogas, a luta pelos pontos, a corrupção policial e até judicial, dizem.

A poderosa Rede Globo, sua empregadora e de outros artistas, que emprestam seu prestígio à campanha contra a venda legal de armas e munições, não alterou em nada a sua programação, onde a violência é difundida e ensinada em inúmeros programas, numa dissolução de costumes que arrasa o respeito ao outro, às instituições, leis e autoridades, e forma esse caldo onde viceja a violência. Sendo assim, penso que os malandros do governo e da sua empregadora, abusaram da sua boa fé, fazendo-a crer que, se usasse o seu nome e talento, estaria contribuindo para um mundo de paz.

Se for vitoriosa a sua campanha, como vou defender as minhas ovelhas? Vou comprar munição no mercado negro? Ou a Senhora virá, com a força da sua arte dramática, convencer os agressores a mudarem de conduta?

Ao fim, pergunto, como ficará a sua consciência, quando tomar conhecimento de que alguma pessoa foi assassinada, porque lhe privaram dos meios para prover sua defesa. Meios os quais maneja com perícia desde há muito, sem que tenha sido vitimado qualquer inocente?

Desculpe-me, mas quando vejo artistas tentando induzir pessoas de forma tão leviana, penso que "não deve ir o sapateiro além da sandália".

Com todo o respeito, assino. ”

PS: não conseguimos a comprovação da identidade do autor, embora realmente existam famílias Belmonte, em várias cidades do Rio Grande do Sul. Recebemos esse texto, por e-mail, de diversos colaboradores !!!

( Fausto Fernandes Belmonte - Biografia - ****/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

21/Outubro/2005:

“ VOU VOTAR CONTRA ”
- João Ubaldo Ribeiro -

Faz quase dois anos, escrevi aqui contra a lei que deverá proibir o comércio de armas no Brasil. Fico meio (serei moderno e vou usar essa palavra; todo mundo usa e preciso ser moderno ou perecer) sacaneado, quando me põem no bolo dos "babacas da mídia" que só defendem direitos humanos para criminosos e trabalham pela aprovação de leis como essa do desarmamento. Nem sei que babacas são esses, eis que babacas há em toda profissão ou condição social, mas escrevi aqui contra o tal desarmamento. Precisava até de mais espaço do que o muito que já me dão, de forma que não é para poupar trabalho que reproduzo três parágrafos daquele texto. É porque iria repeti-los, com outras palavras. Escrevi o que vai grifado abaixo:

" Em primeiro lugar, o que parece não ter importância alguma, sou contra a violência. Em segundo lugar, menos um pouco desimportante, estamos há muito tempo em falta de mocinhos, em todos os níveis de governo. E, agora sim, importante, já vivemos nessa situação há muito tempo. Somos cidades de faroeste, diferençadas apenas por detalhes, como carros e motocicletas em vez de cavalos, e a ausência de coldres recheados à mostra. De resto, basta pensar e ver que, em cidades onde morre mais gente baleada do que em países em guerra, só podemos ser uma espécie de faroeste.

Já nos acostumamos e por isso mal notamos. Quem nota, e pode, vai morar em fortalezas ou complexos penitenciários, eufemisticamente rotulados de "condomínios", mas na verdade com mais segurança do que a velha Alcatraz, embora inútil pois às vezes os próprios agentes dessa "segurança" estão por trás ou ao lado de sua violação. Quem pode, dá no pé e vai morar em algum país no qual não seja necessário rezar sempre que um filho vai à rua e um celular para cada um desses filhos não é considerado equipamento de segurança indispensável. Quem chega de fora fica assombrado em ver o número de grades pelas quais tudo é cercado, de edifícios a praças públicas, como se fosse normal o cidadão viver por trás de grades, enquanto o pau come solto lá fora. "

Reli o texto inteiro (é de julho de 2003, para quem quiser saber) e poderia reproduzi-lo todo, porque ainda é pertinente, mas isto não se faz, parece que se está querendo passar a perna no jornal. Os dois parágrafos acima só faltam acrescentar que sou pessoalmente contra armas e brigas, nunca tive nem tenho arma e não represento ninguém, só minha consciência mesmo. E não estou só na minha posição, que é a de muita gente boa e insuspeita por aí, segundo leio na internet e ouço falar. E então - perdão, leitores; perdão, editores - reproduzo outro parágrafo:

" Para resolver isso, que cresce como um câncer em metástase desenfreada, os governos oferecem palavrório e legislação. Devemos ter as leis mais avançadas do mundo e vêm vindo mais. Por exemplo - e chego finalmente ao ponto mais polêmico - agora o plano é desarmar os cidadãos, proibindo terminantemente o porte de armas, mesmo que exclusivamente dentro de casa. Não tenho arma e sou visceralmente contra seu uso, mas não sou maluco. O cidadão que respeitar a lei não terá mais arma em casa, ou nem mesmo no sitiozinho, onde relaxar virou privilégio de quem pode contratar seguranças e ter cachorros ferozes por tudo quanto é canto. Mas o bandido? Ah, este estará de agora em diante perdido, porque o novo dispositivo legal cerceará sua ação criminosa. Verdade que terá certeza de que poderá entrar na casa de qualquer cidadão ordeiro, porque esse cidadão não contará com uma arma para defender-se. Mas o bandido poderá ser facilmente vencido. Basta que se guarde um exemplar da nova lei para mostrar ao assaltante: "Olhe aí, diz aqui que é proibido o porte de armas". "Ah, desculpe", dirá o assaltante, pedindo licença para retirar-se e saindo sem bater a porta. "Foi mal, eu não tinha sido informado." E não duvido nada que, se o cidadão tiver em casa um revólver, mesmo que não dê um tiro no assaltante, seja preso e processado inafiançavelmente, enquanto o assaltante, réu primário, servirá pena de dois anos em regime semi-aberto. "

Como desculpas renovadas, acrescento o pouco que resta acrescentar. O governo ataca de novo um problema complexo e cujo buraco está a léguas mais embaixo com os instrumentos estatais mais comuns entre nós: Uma lei (ou medida provisória) moderníssima; uma ou várias comissões, todas com direito a jetons, passagens, etc.; recadastramento de categorias diversas; anistia para quem não pagou o que devia; calabocas variados (cestas básicas, bolsas-escolas e outras reações tópicas que são chamadas de "programas sociais", curiosa designação a algo que mantém corrupção, clientelismo e dependência de esmolas). Uma dessas pode ainda não ter aparecido, mas aparecerá.

Maconha e cocaína também não podem ser comercializadas (os gerúndios enlouquecidos e os verbos em izar vão terminar por nos afogar num mar de cretinismo invencível - nem ver mais as pessoas vêem, só visualizam) e, no entanto, a depreender do que lemos nas gazetas, compram-nas quem quer e onde quer, até mesmo a domicílio e sendo talvez possível o uso de cartões de crédito. Desta forma, só posso crer que se trata de mais uma armação da Central Brasileira de Trambicagem, a fim de estabelecer as futuras prósperas "bancas-de-fogo", que se juntarão às já abundantes bocas-de-fumo. Armas não se poderão comprar legalmente. Ilegalmente, claro que sim, é para isso que existe a lei. Triste situação a do bandido, que só lhe faz sofrer e a nós ter pena. Já pensaram no peso na consciência dele, como portador ilegal de arma? É de matar qualquer um, só resta assaltar para esquecer.

( João Ubaldo Ribeiro - Biografia - 1941/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

24/Outubro/2005:

“ DIA 23 DE OUTUBRO DE 2005 ”
DECLARAÇÃO DA SEGUNDA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL
CLICK AQUI e veja a nossa MENSAGEM sobre o resultado do REFERENDO !!!

VITÓRIA maiúscula do POVO, contra mais uma UTOPIA de DESGOVERNOS IMORAIS, CORRUPTOS e inconseqüentes, em todas as esferas do poder, desgovernos que pretendiam anular direitos legítimos do cidadão, para tentar esconder a sua enorme incompetência !!!

Uma VITÓRIA da LIBERDADE de consciência contra o QUARTO PODER da REDE GLOBO e de um sem número de emissoras de TV, Rádios, Jornais e Revistas, que prestaram um enorme desserviço ao Brasil, aliando-se a hipocrisia do governo, em causa própria !!! Parabéns à Revista VEJA, à REDE BANDEIRANTES, e a outros veículos da MÍDIA e a tantas MENTES ILUSTRES, mormente os que inseriram seus textos e pensamentos nas páginas de nosso portal, por terem tido a CORAGEM de, num momento extremamento delicado, se aliarem aos verdadeiros anseios do POVO brasileiro, assumindo os riscos e abrindo espaço, no caso da REDE BANDEIRANTES, para os necessários debates, que sem dúvida clarearam as mentes de muitos !!!

Uma VITÓRIA da RAZÃO e da verdadeira FÉ raciocinada, contra os FALSOS PROFETAS, líderes religiosos que se utilizando em vão do nome de DEUS e do MESTRE dos MESTRES, se aliando à MENTIRA e à HIPOCRISIA, a exemplo dos fariseus do passado, para tentar coagir as mentes e iludir os devotos sinceros !!!

Por isso, e muito mais, PARABÉNS AO POVO BRASILEIRO, que nesta data histórica, desvencilhou-se de fortes e históricos cabrestos, que não se deixou enganar pelas várias instâncias do poder e resolveu tomar a sua HISTÓRIA nas próprias mãos...

Quando decidimos empunhar a BANDEIRA DO NÃO, muitos nos rotularam de idiotas, defensores das causas perdidas (80% contra 20%), espírito de Dom Quixote... Quando publicamos nossa primeira matéria em jornal, nos acusaram de cometer um verdadeiro suicídio político... porque o 'politicamente correto', o 'lado vencedor', já estava determinado... Hoje, não precisamos nem mesmo dar a nossa resposta aos 'piadistas' de ontem...

As urnas mostram uma RETUMBANTE VITÓRIA do NÃO, contra a Hipocrisia e a Mentira, de leste a oeste, de norte a sul do país, em absolutamente TODOS OS ESTADOS BRASILEIRO, sem uma única exceção: 63,9% (mais de 59 milhões de votos), contra ínfimos 36,1% (menos de 34 milhões)... Uma diferença tão grande que, mesmo somando-se BRANCOS (pouco mais de 1,3 milhão - 1,39%) e NULOS (pouco mais de 1,6 milhão - 1,68%) ao SIM, ainda teríamos uma 'sonora goleada'..., que surpreendeu até mesmo aos mais otimistas dos defensores da bandeira do NÃO.

Em UNÍSSONO, nosso povo mostra ser uma verdadeira NAÇÃO, dando uma mensagem CLARA e CRISTALINA aos desgovernos brasileiros: não aceitamos mais a MENTIRA, queremos trabalho real sobre as verdadeiras CAUSAS das MAZELAS que infectam o nosso BRASIL... não aceitamos mais ser iludidos e tratados como retardados !!!

Esperamos, a bem do BRASIL, que esse NOVO GRITO DO IPIRANGA seja o início de uma nova era, e que tenha continuidade nas eleições do próximo ano, quando precisamos dar início a um abrangente processo de SANEAMENTO... ou de 'dedetização'..., visando transformar os desgovernos atuais, infestados pela corrupção e mentira, em verdadeiros GOVERNOS para o nosso país !!! ”

( Eng. Celio Franco - Biografia - 1959/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

25/Outubro/2005:

“ FONTES DE LUCRATIVIDADE ”

Numa de nossas palestras, em atenção à uma pergunta sobre gestão de excelência, não tivemos dúvida em destacar o pensamento do célebre filósofo Aristóteles (384-322a.C.). Dizia ele: 'Só fazemos melhor aquilo que repetidamente insistimos em melhorar. A busca da excelência não deve ser um objetivo, sim um hábito'. O avanço da globalização, provocado pelas descobertas científicas e inovações tecnológicas, tem sido determinante para o acirramento da competitividade internacional. A qualidade das instituições públicas afeta a competitividade do Brasil, classificado pelo Fórum Econômico Mundial na 65ª colocação, entre 117 países. A missão do Estado é dar condições estruturais favoráveis ao desenvolvimento econômico e social.

Lição singular deu o Japão ao ressurgir das cinzas, como Fênix, tornando-se a segunda maior potência econômica do planeta. Qual o segredo do 'tigre' asiático? Elevados investimentos em educação por parte do governo e, em recursos humanos, pela iniciativa privada. A pedagogia alavanca a tecnologia e sinaliza que 'não existe país subdesenvolvido, o que existe é país sub administrado' (Peter Drucker). A iniciativa do país do sol nascente levou até Órgãos governamentais à implementação de programas de qualidade - adequação ao uso, com satisfação de clientes e consumidores. Qualidade é indispensável, porém sem produtividade – fazer cada vez mais, e melhor, com cada vez menos – torna-se insuficiente na redução de custos operacionais, deixando as organizações vulneráveis à competitividade. Custos, principalmente os indiretos, nos fazem lembrar de unha, que deve ser cortada freqüentemente pela sua incorrigível tendência de crescer.

Um dos fatores que mais provoca perda de produtividade nos serviços públicos é o excesso de burocracia, que além de não impedir corrupção e fraudes, tem inibido o desempenho das empresas, motivado a sonegação fiscal e incentivado a informalidade. As atividades comerciais sem registro contábil deram origem ao mais poderoso império da história da humanidade – o Quarto Setor. Longas filas nas repartições públicas, morosidade do andamento de processos judiciais, demora na aprovação de projetos e regulamentação de leis e exigências exageradas para abertura de empresas são alguns indicadores de baixo índice de produtividade. Entre os serviços públicos eficazes destacamos os prestados pelo Corpo de Bombeiros, inegavelmente, a instituição mais admirada pela população.

Agregar valor na gestão pública significa investir em projetos que aumentem a produtividade, oferecendo à população um dos mais valiosos bens da atualidade – a praticidade. Os ganhos em produtividade passam por uma 'revisão cirúrgica sistemática', de cada detalhe dos processos operacionais, objetivando a redução de etapas, inovação em cada uma delas minimizando tempo e, melhor ainda, a eliminação de normas e procedimentos. Os prestadores de serviços devem ter consciência de que usam a mais valiosa das matérias-primas – o tempo – a única que não tem reposição. A excelência dos serviços públicos, especialmente em educação e saúde, é a melhor das estratégias para reduzir a vergonhosa desigualdade social - referência maior do oceano de pobres e da ilha de ricos.

A chave da eficácia encontra-se na redução das atividades-meios e na eliminação das formalidades que não agregam valores às atividades-fins. O maior desafio da classe política e dos gestores públicos é transformar uma instituição mecânica, em orgânica. Gestão transparente, interativa e que coloque (mesmo) o cidadão em primeiro lugar - é um modelo exemplar. Vale a pena uma reflexão sobre o pensamento do célebre político, orador e prosador romano – Cícero (106-43 a.C): 'Vamos equilibrar o orçamento, proteger o tesouro, combater a usura e reduzir a burocracia. Caso contrário, afundaremos todos'. ”

( Faustino Vicente - Biografia - 1935/**** )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

26/Outubro/2005:

“ AOS ADVERSÁRIOS DO ESPIRITISMO ”

“ Vós que combateis o Espiritismo, se quereis que o abandonemos para vos seguir, dai-nos mais e melhor do que ele; curai com maior segurança as feridas da alma. Dai mais consolações, mais satisfações ao coração, esperanças mais legítimas, maiores certezas; fazei do futuro um quadro mais racional, mais sedutor; porém, não julgueis vencê-lo com a perspectiva do nada, com a alternativa das chamas do inferno, ou com a inútil contemplação perpétua. ”

( Allan Kardec - Biografia - 1804/1869 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

27/Outubro/2005:

“ NOSSOS ENCONTROS ”

“ Quando encontramos pessoas de valor, devemos pensar em como podemos ser iguais a elas. Quando, ao contrário, encontramos pessoas sem caráter, devemos nos voltar para o nosso interior e examinar o que se passa lá dentro. ”

( Confúcio - Biografia - 551 a.C./ 479 a.C. )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

28/Outubro/2005:

“ PLEBISCITO ”

A cena passa-se em 1890.

A família está toda reunida na sala de jantar.
O senhor Rodrigues palita os dentes, repimpado numa cadeira de balanço. Acabou de comer como um abade.
Dona Bernardina, sua esposa, está muito entretida a limpar a gaiola de um canário belga.
Os pequenos são dois, um menino e uma menina. Ela distrai-se a olhar para o canário. Ele, encostado à mesa, os pés cruzados, lê com muita atenção uma das nossas folhas diárias.

Silêncio

De repente, o menino levanta a cabeça e pergunta:
— Papai, que é plebiscito?
O senhor Rodrigues fecha os olhos imediatamente para fingir que dorme.
O pequeno insiste:
— Papai?

Pausa:

— Papai?
Dona Bernardina intervém:
— Ó seu Rodrigues, Manduca está lhe chamando. Não durma depois do jantar, que lhe faz mal.
O senhor Rodrigues não tem remédio senão abrir os olhos.
— Que é? que desejam vocês?

— Eu queria que papai me dissesse o que é plebiscito.
— Ora essa, rapaz! Então tu vais fazer doze anos e não sabes ainda o que é plebiscito?
— Se soubesse, não perguntava.
O senhor Rodrigues volta-se para dona Bernardina, que continua muito ocupada com a gaiola:
— Ó senhora, o pequeno não sabe o que é plebiscito!
— Não admira que ele não saiba, porque eu também não sei.
— Que me diz?! Pois a senhora não sabe o que é plebiscito?

— Nem eu, nem você; aqui em casa ninguém sabe o que é plebiscito.
— Ninguém, alto lá! Creio que tenho dado provas de não ser nenhum ignorante!
— A sua cara não me engana. Você é muito prosa. Vamos: se sabe, diga o que é plebiscito! Então? A gente está esperando! Diga!...

— A senhora o que quer é enfezar-me!
— Mas, homem de Deus, para que você não há de confessar que não sabe? Não é nenhuma vergonha ignorar qualquer palavra. Já outro dia foi a mesma coisa quando Manduca lhe perguntou o que era proletário. Você falou, falou, falou, e o menino ficou sem saber!
— Proletário — acudiu o senhor Rodrigues — é o cidadão pobre que vive do trabalho mal remunerado.
— Sim, agora sabe porque foi ao dicionário; mas dou-lhe um doce, se me disser o que é plebiscito sem se arredar dessa cadeira!
— Que gostinho tem a senhora em tornar-me ridículo na presença destas crianças!

— Oh! ridículo é você mesmo quem se faz. Seria tão simples dizer: — Não sei, Manduca, não sei o que é plebiscito; vai buscar o dicionário, meu filho.
O senhor Rodrigues ergue-se de um ímpeto e brada:
— Mas se eu sei!
— Pois se sabe, diga!
— Não digo para me não humilhar diante de meus filhos! Não dou o braço a torcer! Quero conservar a força moral que devo ter nesta casa! Vá para o diabo!
E o senhor Rodrigues, exasperadíssimo, nervoso, deixa a sala de jantar e vai para o seu quarto, batendo violentamente a porta.
No quarto havia o que ele mais precisava naquela ocasião: algumas gotas de água de flor de laranja e um dicionário...

A menina toma a palavra:
— Coitado de papai! Zangou-se logo depois do jantar! Dizem que é tão perigoso!
— Não fosse tolo — observa dona Bernardina — e confessasse francamente que não sabia o que é plebiscito!
— Pois sim — acode Manduca, muito pesaroso por ter sido o causador involuntário de toda aquela discussão — pois sim, mamãe; chame papai e façam as pazes.
— Sim! Sim! façam as pazes! — diz a menina em tom meigo e suplicante. — Que tolice! Duas pessoas que se estimam tanto zangaram-se por causa do plebiscito!
Dona Bernardina dá um beijo na filha, e vai bater à porta do quarto:

— Seu Rodrigues, venha sentar-se; não vale a pena zangar-se por tão pouco.
O negociante esperava a deixa. A porta abre-se imediatamente.
Ele entra, atravessa a casa, e vai sentar-se na cadeira de balanço.
— É boa! — brada o senhor Rodrigues depois de largo silêncio — é muito boa! Eu! eu ignorar a significação da palavra plebiscito! Eu!...
A mulher e os filhos aproximam-se dele.

O homem continua num tom profundamente dogmático:
— Plebiscito...
E olha para todos os lados a ver se há ali mais alguém que possa aproveitar a lição.
— Plebiscito é uma lei decretada pelo povo romano, estabelecido em comícios.
— Ah! — suspiram todos, aliviados.
— Uma lei romana, percebem? E querem introduzi-la no Brasil! É mais um estrangeirismo! ”

( Arthur Azevedo - Biografia - 1855/1908 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

31/Outubro/2005:

“ O FUTURO E O NADA ”

“ Nós vivemos, pensamos, agimos, eis o que é positivo; nós morremos, e isso não é menos certo. Deixando a Terra, para onde vamos ? Em que nos tornaremos ? Seremos melhores ou piores ? Seremos ou não seremos ? Ser ou não ser, tal é a alternativa; é para sempre ou para nunca, é tudo ou nada: ou viveremos eternamente, ou tudo se acabará sem retorno. Vale bem a pena pensar nisso.

Todo homem experimenta a necessidade de viver, de gozar, de amar, de ser feliz. Dizei àquele que sabe que vai morrer que ele viverá ainda, que sua hora será retardada, dizei-lhe, sobretudo, que será mais feliz do que nunca fora, e seu coração vai palpitar de alegria. Mas, de que serviriam essas aspirações de felicidade, se um sopro pode fazê-las desvanecerem-se ?

Há alguma coisa mais desesperadora do que esse pensamento da destruição absoluta ? Afeições santas, inteligência, progresso, saber laboriosamente adquirido, tudo será aniquilado, tudo estará perdido ! Qual a necessidade do esforço para se tornar melhor, da repressão para conter suas paixões, fatigar-se para adornar seu Espírito, se disso não se deve recolher nenhum fruto, sobretudo, com esse pensamento de que amanhã talvez isso não nos servirá para nada ? Se assim fosse, a sorte do homem seria cem vezes pior do que a do animal, porque o animal vive inteiramente no presente, na satisfação dos seus apetites materiais, sem aspiração quanto ao futuro. Uma secreta intuição diz que isso não é possível. (...)”

( Allan Kardec - Biografia - 1804/1869 )
Quer dar sua opinião sobre este texto? CLICK AQUI e Fale Conosco!!!

 

Pensamento do Dia - Esta página mantém Pensamentos, Filosofia, Negócios e Mensagens de Otimismo. This page keeps information concerning Philosophy, Thinks and Sublime Optimism Messages.
Portal Nosso São Paulo - www.nossosaopaulo.com.br